23 de jan de 2013

ENTENDENDO UM POUCO DA VIDA

As vezes alguma coisa ruim tem que acontecer para que infinitas coisas boas deem certo. É assim que acontece quando você fica de recuperação no colegial e perde as férias estudando, mas que sete anos depois ainda sabe aquela matéria, porque realmente aprendeu. Acontece quando sua mãe não deixou você ir ao shopping com suas amigas e você chorou tanto até entrar no msn e perder a hora conversando com amigos distantes. Sempre acontece. Aconteceu comigo.
Tudo vai depender do olhar positivo que você dá às coisas. Procure entender que tudo tem um porque. Comece a enxergar com outros olhos. Você vai ver! 

Essa semana eu levei e dei um susto que não quero viver nunca mais. Isso mesmo, coisas ruins aconteceram, mas pela primeira vez, eu amanheci no outro dia olhando pra tudo de bom que veio à tona por causa daquilo. E eu juro que depois de analisar cada coisa eu me senti a pessoa mais amada desse mundo! Na noite de segunda-feira meu corpo não estava muito bem, eu sentia muitas dores. Dores inexplicáveis que até o momento nenhum disgnóstico foi motivo suficiente para dizer o que eu passei o que eu tinha. Chorei, gritei, precisei de três enfermeiras para encontrar uma veia no braço dessa blogueira que vos fala, tive que ficar explicando para as pessoas que estavam ao meu lado na emergência que estava tudo bem, porque todo mundo ficava perguntando se eu queria que chamasse o médico, depois que eu fui entender que eu estava era causando o terror com minhas caras e bocas de tanta dor que sentia. Mas já tá bom, esse parte ruim já tá pegando quase um parágrafo inteiro, deixa logo eu contar as coisas incríveis que eu vivi a partir daí porque eu quero que esse post seja uma espécie de ''olhar do paraíso'', sabe?

Por algum motivo aleatório as enfermeiras não deixavam usar o celular na sala de medicamentos, mas foi irado quando deu aquele momento em que todo mundo some alegando aos pacientes que vão jantar (sempre demoram hooooooras) e eu peguei o celular e fui retornar todas as ligações que tinha. Certo que eu choquei meus amigos quando disse que estava em um hospital, mas foi legal rir com eles quando eu disse que estava sendo muito #VID4L0K4 falando com eles ali dentro. Esse momento foi quando eu comecei a ter certeza do que muita gente diz: ''há males que vem para o bem''. Depois de quase dois litros de soro com medicamentos que sou incapaz de lembrar o nome e de uma ficha infinitamente grande preenchida pela letra de um médico muito charmoso eu fui pra casa, cheguei com uma baita fome, mas em vez de comida minha mãe me recebeu com aquelas perguntas preocupadas e eu só conseguia olhar para aquela testa franzida e entender o quanto amor tinha ali. Naquela noite meu irmão até pegou água pra mim, e pode crê, se isso aconteceu ele estava querendo me mimar muito. Me deitei como se estivesse pesando o peso de uma pena de tão vele que tava, acho que o soro me deixou sonolenta desse jeito, mas não dormi antes de atender à mais ligações e ler as mais lindas mensagens que já recebi. Tinha tanto desesperado naquela imbox do facebook que parecia que eu tinha os deixado sem notícias por dias, mas foram apenas horas. Acho que é aquela questão de que tudo toma proporções maiores quando é o amor que está envolvido né?

Enfim dormi. No outro dia minha irmã me ligou assim que chegou no trabalho pra saber se estava tudo bem. Como poderia não estar? Ok, a dor continuava ali no meu corpo, mas eu tava anestesiada por algo muito maior que tudo aquilo. Passei o dia entre vinte gotinhas de um remédio muito ruim e ligações do tipo ''tá bem mesmo?'' ''tem certeza?'' ''quer que eu vá ai?''. Falar em remédio, acho que ele me deixa mais sonolenta que o normal, pois ás sete da noite eu estava esparramada na minha cama num sono tão profundo, digno de ser acordada só se fosse pelo mais novo professor de photoshop que atende pelo apelido de: meu melhor amigo. Isso mesmo, passei o resto da noite de ontem pensando e tendo certeza entre tantas risadas e fotos o quanto eu sou feliz. Melhor, o quanto eu tô feliz por ter conseguido reconhecer isso.

O que eu quero com esse post não é que você leve a vida sem nenhuma responsabilidade acreditando que todas as suas burradas, decisões erradas e coisas ruins que aconteçam vão se transformar em contos de fadas. Eu só quero que você aprenda a tirar uma lasquinha de risada de tudo, por que assim a vida fica mais leve e quem sabe tudo se resolve.





Nenhum comentário:

Postar um comentário