29 de jan de 2013

AOS 21

Aos 21 anos muita coisa muda! Ok, de fato eu não vou mudar meu jeito de tratar as pessoas, meu gosto por música, nem muito menos minha cor preferida, mas 21 anos é a possibilidade de adicionar mais itens à esses meus gostos, então é aí que tudo muda.
Aos 21 anos eu sou mais eu, e isso se repete a cada virada do dia, mas o prazer de fazer 21 parece que deixa o dia duplo, assim como se fosse um dia para a rotina normal e outro para sonhar. Quem não acorda sonhando no dia do seu aniversário? Eu acordei até mais bonita, com um ano a mais na minha certidão, um ano a mais no meu perfil do facebook, um ano a mais na vela do bolo, mas com um ano a mais de experiências que só os 21 anos poderiam me dá. Na verdade acho que esse é o maior presente da vida, a permissão de viver mais um ano. Hoje conversando com um amigo, depois de vários mimos e demonstrações bem mongóis (sou meio demente com meus amigos, haha) de carinho e desejos de feliz aniversário eu falei algo que fazer 21 anos é como um merecimento, e quando for 22, 25, 30 o merecimento aumenta, então como tapa na cara da sociedade ele me respondeu, fazer 21 é sobrevivência. Li aquilo e logo de cara concordei plenamente, só os meus 21 sabe o quanto eu sobrevivi.

Aos 21, a gente aprende um pouco mais como as pessoas são importantes, como os perfumes são lembranças e como muita comida faz mal. Aos 21, tomamos mais decisões difíceis, estudamos como loucos (cada dia mais estudo como louca) e fazemos a unha do pé numa frequência quase inexistente. O tempo se limita mais ainda (pensei que isso fosse impossível), as pessoas tornam-se mais irmãs que amigas, acho que a idade traz uma dose de carência. Aos 21, a cantoria dos meus pais de manhã cedo cantando parabéns pra mim fica mais rimada, o abraço dos meus amigos mais caloroso e minha agenda de celular cada vez mais cheia. O tempo passa um pouco e eu ganho e perco um pouco de tudo, que bom a vida tem sido generosa comigo e só tem me feito perder o que até então me atrasava. Todos os dias eu vou deixando as meninices de criança mais de lado, eu foco mais, eu vivo mais. Escuto mais músicas, danço outros estilos, compro uma roupa que não usaria ano passado. Abro possibilidades!

Aos 21, eu consigo sentir novos ventos, e olha que só faz algumas horas que posso senti-los, mas sei que são eles que me farão seguir em frente pra sentir outros ventos de 22, 23... E assim eu vou sobrevivendo.

Desculpa vida, mas hoje eu posso tudo, eu tenho 21 anos!



Nenhum comentário:

Postar um comentário