5 de out de 2012

QUERIA ENTENDER VOCÊ PARA VIVER MELHOR


No meio de algumas palavras sem nexo que eu digitava, mas sempre ligadas à você minha mãe perguntou o que tanto eu escrevia? Respondi: Nada de mais não mãe, nada de importante! Menti mais uma vez, como tenho feito desde o dia em que te conheci, minto à cada sorriso que dou como se vivesse totalmente realizada, a cada vez que digo a frase eu nunca amei ninguém.
Não sou uma mal agradecida que não vivo realizada só porque não tenho a tal pessoa que ama, afinal quantos vivem assim não é? Mas é porque o meu caso é diferente, eu te tenho, incompleto mais eu tenho, e é exatamente isso que sufoca mais, ficar ao seu lado como se você fosse um amigo qualquer, falar com você poucas vezes por semana pelo simples fato de não sermos um CASAL , até porque casais se falam diariamente, mas é isso, não somos um CASAL, mas se não nos encaixamos nessa categoria porque quando estamos a sós agimos como tal? Por que você me liga quando está mal? Por que a gente se entende tão bem? Por que somos tão amigos? Por que te conheço tão bem, e mais até que eu mesma? Por que juntos formamos um casal tão bonito quando na verdade nem somos um? Se eu fosse daquelas pessoas que gostam caladinhas, são discretas, até levaria numa boa, mas não, eu não sou dessas, eu amo andar de mãos dadas na rua e amaria te exibir como meu namorado, eu amaria ter um anel de compromisso na mão direita já ensaiando para quando fosse uma aliança na mão esquerda, eu amaria almoçar aos domingos na sua casa e que depois você viesse para a minha. Amaria que fossemos juntos à missa, aos shoppings, à casa dos nossos amigos, amaria não ter que sufocar esse sentimento aqui dentro quando na verdade tenho vontade de gritar pro mundo que SIM eu amo alguém, sim eu aprendi com ele esperar, a insistir, a ser feliz com pouca coisa, a gostar da saudade, aprendi que em dois tudo é mais prazeroso, um filme sem graça, ou até os programas de domingo na tv que são os piores dariam pra aturar fácil quando fosse você no sofá da minha casa ao meu lado, só ainda não aprendi a viver com esse sentimento tão guardadinho aqui dentro de mim e ter que me conformar com isso. 
Queria poder dizer à minha mãe: Ora mãe e você ainda pergunta sobre o que eu estou escrevendo? É sobre ele né mãe, aquele seu futuro genro bobo que você tanto gosta, estou aqui escrevendo pra ele tentando entender como pode caber tanto sentimento aqui dentro desse meu coração. Esto escrevendo sobre mim mãe, que deixei de ser só desde o dia em que vi aquele sorriso.


Nenhum comentário:

Postar um comentário