15 de out de 2012

COISAS QUE A GENTE FAZ

Quantos caracteres são necessários até que eu consiga descrever tudo que o outro precisa ouvir? Quantas oportunidades na vida eu terei para ficar confirmando meu amor para alguém? Quantas coisas eu terei que mira-bolar até que as surpresas tornem-se realmente surpresas, e não apenas mais uma declaração''zinha'' previsível? Quantas vezes eu terei que ficar aqui me pondo metas, quando na verdade isso é espontâneo?

O amor é assim, previsível e ao mesmo tempo imprevisível.

Eu não preciso seguir regras para te encantar, as minhas trapalhadas na busca de ser correta já te encanta. Eu não preciso escrever uma carta que conte como tudo começou, ou que descreva aquele nosso passeio na praia, basta apenas um sms falando ''call me maybe, please'' enquanto tínhamos passado menos de um dia sem nos falar. Eu não preciso fingir que amo um banda x ou comida y só para te impressionar, nossos gostos já são tão parecidos que me assusta. 

Pra falar a verdade temos muitas outras coisas parecidas. Vivemos por tantos anos sem nos encontrar, nos batemos em tantos outros braços que nos machucaram para hoje estarmos aqui. Somos diferentes e ao mesmo tão iguais, que chego a pensar que daríamos bons irmãos. Somos uma boa dupla, formamos uma parceria boa. Mas na verdade queria um dia formar um casal.

Um comentário:

  1. parabéns pelo texto aline sempre visito o blog de vocês

    ResponderExcluir