15 de ago de 2012

O DIA QUE NÃO RAIOU





Hoje pela manhã eu acordei com uma super de vontade de contemplar o sol, na verdade foi mais uma necessidade que uma vontade, porém fui surpreendida com a lua, ainda um pouco cheia e imponente diante da clareza do dia. Fiquei pasma, e então me dei conta que resquícios da escuridão ainda estavam nesse meu dia. Mais que pasma, fiquei triste!

Todas as noites antes de começar a lutar contra a insônia peço à Deus para que o amanhecer chegue logo, por que dizem que tudo fica bem quando amanhece não é? Engano! O sol não é uma borracha e mesmo que fosse sempre deixaria seus rastros, e lembranças ruins é um fato no qual eu não quero mais conviver, não consigo mais conviver! Já passou mais da metade desse meu dia-noite e o sol ainda não raiou pra mim, ainda está escuro, meio turbulento e totalmente confuso. Não consigo me concentrar, realizar meus afazeres e quando olho para o céu, a lua, a tão temida lua ainda está lá, e é de uma ironia tão grande e desrespeitosa que parece está zombando de mim, parece rir do meu sofrimento.

Chego a pensar em fechar os olhos e tentar dormir, mas como vai ficar as pessoas que cuido? Então desisto imediatamente, por que não quero cometer o mesmo pecado que cometeram comigo! 

Puseram uma lua no meu dia, uma lua no lugar do meu sol, e isso eu não vou fazer também (ou ao menos tentarei). Mesmo com essa lua querendo me desnortear eu não posso deixar que o sol dentro de mim seja vencido, vou lutar, talvez não por mim, por que isso já não importa tanto assim, mas pelo sol que eu sou para muitos aí fora. 

Aos que fazem e desfazem isso não conta, mas àqueles que de vez em quando encaram um eclipse segurando a minha mão, deixo o meu: não desisto! E não desistirei nunca, em tempo algum, pois por mais que o tempo passe e o mundo mude quero sentir esse calor que vem de algo maior que nós e me faz manter viva essa chama de sentir, independente da lua que estiver tentando esfriar.


Frio, por favor, passe longe desses corações calorosos <3




Nenhum comentário:

Postar um comentário